Marrakech – Perguntas comuns

designed by Freepik.com

Todas as vezes que digo que fui a Marrakech 3 vezes, escuto as mesmas perguntas. Vou responder aqui:

1- Você não teve problema por ser mulher?

Não, nenhum. A primeira vez fui acompanhada de uma amiga. Chegamos ao hotel, fizemos check-in e já fomos fazer exposição da figura na Medina, a cidade velha, e onde tem o comércio e a famosa praça Djemaa El Fna. Nos primeiros passos já percebemos que teríamos que ter paciência com nossos amigos locais. Os olhares são inevitáveis, os comentários também. Mas, o que é incrível e engraçado, é que eles reconhecem mulher brasileira, parecia que andávamos com uma placa na testa. Por onde a gente passava escutávamos as seguintes palavras: guapa, Brasil, Samba, Ronaldinho. Era só passar, sem falar, sem usar nada que remetesse ao Brasil, que os caras diziam algo relacionado ao nosso país. No início a gente ría, e muito, depois fica um pouco chato porque às vezes você só quer andar e não escutar nada. Ah! Importante: eles vão falar loucuras no seu ouvido, mas não vão te tocar. Se precisar, seja firme, dê um corte e pronto.

2- Você tinha que andar toda tapada? Que roupa você usava?

Não, mas é o que eu sempre digo, para qualquer lugar no Mundo, use o BOM SENSO! Não dá pra andar num país Muçulmano como se estivesse indo a uma praia do Rio de Janeiro. Pode usar bermuda, saias, vestido, camiseta, mas não ponha uma camisetinha com um shortinho mostrando a polpa do seu bumbum, né? Estive em Marrakech 3 vezes, na Primavera, Inverno e Verão. E mesmo no verão, num calor de 50º( sim, peguei esse grau), eu conseguia sair sem precisar me despir toda. O inverno lá é frio, então não há problemas, põe uma calça, um vestido com meia calça e estará pronta pra ganhar as ruas. Primavera é uma delícia, tenha sempre um casaquinho e uma linda pashmina marroquina, são lindas e baratérrimas. No verão é complicado, o sol frita os cabelos e às vezes não dá vontade de sair da frente do ar condicionado. Eu botei as pernas pra jogo, mas sempre tentando ser discreta. Só teve 1 dia que eu liguei o F e saí de shortinho e camiseta, porém eu estava quase entrando em colapso de tanto calor e também porque estava acompanhada de um Marroquino, o que faz toda diferença. Ninguém me olhou torto. O que eu sugiro é que você tenha sempre um lenço e isso independe de estação, ele vai te ajudar de qualquer forma: te protegendo do frio ou do calor.

3- É verdade que não há preço fixo pra nada?

Nos souks, o comércio dentro da Medina, tudo é negociável. TUDO! Haja paciência! Tem horas que eu só queria pagar o que custa e ir embora, mas não. Você passa em frente à tenda e lá vem o vendedor tentando de empurrar qualquer mercadoria. Se te interessar, pergunte o preço, ele vai te dizer “X” e você vai dizer: eu quero a metade de “X”, e aí, é dada a largada. Boa sorte! Porém, se você não quer nada do que viu ou apenas vai passar na frente da lojinha, te dou uma dica: não faça contato visual com o vendedor. Se faça de surda, de desentendida e saia de perto. Eu sou uma pessoa que faz amizade num piscar de olhos, adoro conversar com as pessoas locais e fazer novos amigos, mas se você der muita trela, eles vão te alugar até que você compre alguma coisa. Eles não querem ser seu melhor amigo, eles querem seu dinheiro, e vão fazer de tudo pra conseguir isso. No bom sentido, claro.

4- É um lugar barato?

Sim. Estive em Marrakech quando ainda morava na Europa, eu ganhava em euros, o que ajudou muito. 1 Euro equivale a 11 Dirhams ( moeda local), ou seja, vale muito a pena! Tive bons almoços pagando 8 euros, comprei pashminas, lenços e souvenirs por preços que nunca vi em outras cidades. Troquei os Euros no aeroporto,logo na chegada, mas hoje trocaria só um pequeno montante, o necessário pra chegar ao hotel ( pegar um táxi, ônibus, pagar uma água) e ao chegar na cidade, trocar em alguma casa de câmbio. É mais barato.

5- O que você comia? Não passou mal?

Nunca passei mal, graças a Deus. Mas tenho um conhecido Marroquino que comeu alguma coisa com maionese numa barraquinha de rua e ficou 1 semana internado. Sério! Foi horrível. Eu evitava comer em barraquinhas, mas almoçava e jantava em restaurante. Eu gosto de experimentar as comidas locais, então comi cuzcuz, tajine e pastilla ( o que eu mais gostei), mas também fui no Mc Donalds local e comi um lanche delicioso que eu nunca vi em nenhum outro. Café da manhã era no Riad ( chá de menta, suco de laranja, pão, manteiga, geléia e alguma fruta). E água, só mineral! Compre garrafinhas e leve com você. Mas não tenha medo de conhecer novos sabores, a comida Marroquina é deliciosa!

6- Como você se comunicava?

Eles falam Árabe, Berbere, Darija ( árabe marroquino) e Francês. Eu não falo nenhum desses, mas deu pra se virar com Espanhol, Portunhol, Inglês e um pouco de mímica e  “apontamento” (aponte o que você quer e pronto). Eles falam vários idiomas, mesmo que seja o básico, vão se virar pra te atender e vender alguma coisa. Eles são super abertos e adoram aprender alguma palavra em Português. A comunicação não será problema, acredite. E seja simpático também, tente aprender algo básico do idioma local. Ao menos o Obrigado, que lá é Shukran. –

Anúncios

8 comentários

  1. Olá Mara,

    Desculpe chatear, mas tenho umas quantas dúvidas, será que me pode ajudar?
    – que alojamento recomenda?
    – como se deslocou do aeroporto para o hotel e na cidade? na cidade dá para andar sempre a pé?
    – além do douk, o que se tem mesmo que ver em marrakesh?
    – vez alguma excursão até ao deserto? com quem? pode dar alguns contactos?

    Obrigadissimo Mara!! 🙂

    Curtido por 1 pessoa

    • Olá Tania! Vamos lá:
      – Sugiro o Hotel Cecil que fica bem na Praça Djemaa El Fna, barato, simples mas mto bem localizado. Se vc quiser uma experiência mais tradicional, sugiro o Riad Fantasia.
      – Do aeroporto para o hotel recomendo que vc alugue o serviço de transfer oferecido pelo hotel
      – Dá pra fazer muitas coisas à pé, mas recomendo o uso daqueles ônibus de turismo, SightSeen. Vc pode escolher um tkt de 24 ou 48h. Além de parar nos principais pontos, serve como um meio de locomoção seguro. Vale a pena!
      – Apesar de ter ido 3 x a Marrakech, infelizmente,nunca estive no deserto, mas todos os hotéis oferecem a excursão. Ao entrar em contato com o hotel, já pergunta sobre esse serviço e valores.
      – Marrakech tem muitas atrações além da Praça Djemaa El Fna: Palacio Bahia, Palacio el Badi, Jardins Majorelle,etc…De noite sugiro o restaurante Comptoir Darna, tem apresentação com música árabe, drinks, comida e é bem bonito. Ele fica na região de Hivernage, onde a vida noturna é bem agitada.

      Se tiver mais dúvidas é só perguntar!! 😉

      Curtir

  2. Olá! Vou ficar hospedada no Riad, dentro da medina, ha 5 minutos da praça djemaa el fna. Eh perigoso voltar a noite da regiao de hivernage? Vc precisou reservar o restaurante Comptoir Darna? Obrigada

    Curtido por 1 pessoa

    • Olá Suzana! A praça durante a noite fica deserta, não que seja perigoso mas assusta um pouco e é muito fácil se perder na medina. Recomendo que vc peça a alguém que trabalhe no Riad pra tentar fechar um táxi, tanto pra te buscar no Riad quanto pra te deixar de volta. Fiz isso uma vez e também dei a sorte do dono do Riad me dar uma carona. Não precisei reservar no Comptoir mas pode ser uma boa idéia. É incrível. Depois me conta! Aproveita!

      Curtir

  3. Olá Mara tudo bem?
    Vou para Marrakesh sozinha, alguns blogs que leio falam que é perigoso e não aconselham mulheres viajarem sozinhas, mas fechei a viagem em um momento de coragem e vou rs.
    A parte da imigração no Marrocos é tranquila para mulheres que viajam sozinhas?
    Acha que preciso contratar por lá algum guia para me acompanhar?
    Me ajuda com essas dúvidas?
    Obrigada

    Curtido por 1 pessoa

    • Olá Charlene!
      A imigração é bem tranquila, você precisa ter o endereço da sua hospedagem, que é solicitado no momento de preencher o formulário do visto (dado ainda no avião). Nunca tive problema.
      Contratar um guia talvez seja interessante sim, não pelo perigo de estar sozinha mas para conhecer melhor alguns pontos da cidade. Na Medina os olhares e alguns comentários serão inevitáveis, às vezes é chato e cansativo mas não perigoso. Eu não tive nenhuma sensação de medo mas ficava atenta ao meu redor e não fazia muito contato visual…rs Seja simpática mas firme, principalmente quando estiver pelo comércio. Te desejo uma viagem MARA, depois me conta como foi!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s